quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

é como se eu não pudesse sentir nada sem você por perto ♪


Eu estava sentada no sofá com o controle da tv na mão, apenas passando pelos canais sem parar em nenhum. Não conseguia pensar em nada há dois dias, so lembrava do que tinha acontecido naquela tarde de chuva. “você é uma idiota, ta vendo o que você faz ? idiota, eu sou uma completa idiota!” era so isso que estava na minha cabeça, e quando a essa frase começou a fazer sentido meu celular começo a tocar, a musica tava ensurdecendo e atormentando meus ouvidos, quando olhei o identificador de chamadas e vi o nome dele ali, simplesmente desliguei o telefone. 5 minutos se passaram e o telefone de casa começou a tocar, fátima, a empregada, atendeu, e após responder algumas perguntas, me passam o telefone dizendo que um tal de jonas queria fala comigo. “jonas ? eu não conheço nenhum jonas, e se conheço não me lembro, mas que diferença isso faz.”
- oi, é a...
- lola, não fala nada só escuta, aqui é o cadu, eu so inventei o nome porque era a única forma de você me atender, não, não desliga por favor, eu preciso falar com você, é importante, por favor me encontra naquela mesma praça as 6:30, pode ser, responde sim ou não, mas por favor vai.
Esperei por um momento, era muita informação pra minha cabeça. – sim – respondi um pouco perturbada, eu pude ouvir um suspiro de alivio do outro lado da linha.
- ok, obrigada, eu vo desligar antes que você mude de idéia, estarei te esperando !
Então a ligação caiu, e o telefone foi escorregando pelos meus dedos ate cair em cima do sofá, olhei pro relógio era quase 6 horas. A praça não era longe da minha casa, eu fui pro meu quarto fiquei andando de um lado pro outro, e então resolvi sair de uma vez e acabar logo com aquilo. Quando cheguei la ele já estava a minha espera, me olhei com um sorriso no rosto, me senti naqueles filmes de romance, tudo parecia um filme, ate o céu estava perfeito!
- oi lola.
- é oi, então o que você queria conversar comigo cadu ?
- queria te dizer que eu sou um idiota, que eu perdi a garota que mais amava na vida, e só depois disso que eu fui percebe que era ela que eu amava, eu queria te pedir desculpas, milhões de perdão por tudo que eu fiz de errado pra ti, eu nunca devia ter feito aquilo, não com você, eu te amo lola, mais que tudo na minha vida e eu sempre vou te amar.
Senti as lagrimas encherem meus olhos, mas eu não podia chorar, eu não ia chorar, não ali, e não na frente dele.
- cadu, você erro comigo sim, e eu também errei com você. Você sabia que eu não gostava dela, qualquer uma menos ela, mas agora já passo. Eu ainda te amo, mas a gente não pode ficar mais junto, você é dela agora, e eu tenho certeza que ela vai te fazer mais feliz do que eu te fiz. Você vai cometer um erro se escolher ficar comigo, eu sou um erro e...
- se você for um erro, você é o erro que eu quero cometer !
Nesse instante me senti paralisada, eu sempre tive todas as respostas mas naquele instante as palavras fugiram da minha boca.
- acho que as minhas desculpas acabaram
- que bom.
Então seus lábios tocaram os meus num encaixe perfeito, na complexidade exata, as arvores foram nossas testemunhas, os pássaros cantavam como se fossem um coral perfeito sem falha alguma, e o sol brilhava mais que nunca aquecendo aquele beijo. Como num filme, era tudo perfeito, e nós ficamos envolvidos um nos lábios do outro. Ele era meu e eu era dele. Foi a simetria completa enquanto ele me beijava, me abraçava, me envolvia, me fazia voar, me desnorteava. Ele era meu agora e nada mais me importava.

ps: desculpa pela falta de postagem ultimamente, é que começou as aulas e dai nao tive muito tempo e meu pc tava estramamente ruim, o texto nao ficou muito bom mas tudo bem, prometo algo melhor. quando dé eu apareço aqui de novo, porque agora vo fica meio sem tempo, mas eu do um jeito.
ps: texto ficticio, criado num momento de tedio.

beijos

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

sem destinatário



Estou te escrevendo essa carta pra te fazer um convite, mas não um convite formal daqueles tipo terno e gravata, apenas quero te convidar para ficar longe da distancia por um tempo, venha pro lado de Ca da fronteira, apareça sem avisar e esbarre em mim na rua da minha casa. Nós poderemos sentar em algum lugar, tomar alguma coisa qualquer, podemos ate jogar conversa fora com a certeza que o assunto não vai terminar.  Não importa que seja por pouco tempo mas fuja pra Ca, se voce aparecer por aqui eu aceito fugir com voce pra outro lugar, mas voce tem que estar do meu lado, não pode me abandonar e me deixar caminhando sozinha sem saber onde ir. Voce tem que prometer que seus olhos vão me mostrar a direção, que suas mãos estarão sempre segurando as minhas, e que seus pés vão me guiar por ai. Eu sei que voce pode não querer, mas aceite o convite de um coração aflito, aceite apenas por um tempo, depois eu deixo voce voltar se quiser, talvez nem seja um convite, e sim um pedido profundo da alma, mas pelo menos aceite, nem que seja só por hoje, apenas aceite o meu pedido.
Assinado: saudade