quarta-feira, 26 de outubro de 2011

o que você vê

É verdade o que dizem de você, que você não é como eu, que sempre sabe onde ir e que nunca se perdeu. Diga uma palavra pra me acalmar. Me convença que um dia tudo vai melhorar. Abra os seus braços pra me refugiar. Eu quero amplificar pra que todos saibam e possam escutar, eu quero ser como você, eu quero ver o que você vê. Não sei quando, onde ou porque, um dia eu percebi, a vida é mais doce pra você, tem um gosto que eu nunca conheci. Feche meus olhos e me faça sonhar. Diga pra eu parar de me preocupar. Me mostre como sempre acreditar. Eu quero acelerar, o tempo corre e eu preciso te alcançar. Eu quero ser como você, eu quero ver o que você vê.
eu quero ser como você-capital inicial

sábado, 22 de outubro de 2011

Você não pode viver a sua vida para os outros. Você tem de fazer o que for certo para você, mesmo que isso machuque as pessoas que você ama.
diário de uma paixão

sábado, 15 de outubro de 2011

need you now

Sei lá, talvez seu jeito de falar, de rir, de brigar, de abraçar, de dançar, ou de fazer qualquer outra coisa, tenha me conquistado aos poucos. Era o tipo de coisa que eu gostava de fazer contigo, o tipo de coisa que trazia uma paz interna, uma calma incrível, e tudo que tinha de melhor. Era o tipo de companhia ideal com quem eu gostava de estar, e que fazia eu me sentir viva. O tipo de companhia que eu precisava agora.

sábado, 1 de outubro de 2011

Please, take my hand

Durante algum tempo ficamos a olhar um para o outro, sem articular palavra. Quem diria? De dois grandes namorados, de duas paixões sem freio, nada mais havia ali; havia apenas dois corações murchos, devastados pela vida e saciados dela, não sei se em igual dose, mas enfim saciados.

Machado de Assis