quinta-feira, 25 de julho de 2013

conhece como a própria mão, cada medo do meu coração

Zé, to aqui de novo. Encontrei um pedaço de folha em branco e você sabe o que acontece sempre que encontro folhas em branco não sabe? Então to aqui fazendo devaneios desnecessários os quais você tem a estranha mania de chamar de drama. Ah Zé, se tu soubesse o quanto um drama alivia a alma e refresca a vida. Ta bom Zé, eu sei, é chato pra caralho sim, mas faz um bem danado, você devia tentar sabe? Cuspir as palavras que estão ai dentro fazendo volume e deixando tudo mais pesado. Tenta vai Zé, tenta, tu vai ver o quão magnífico pode ser jogar as palavras pro vento e esperar que alguém as recolha. Oh Zé, senta aqui do meu lado, deixa eu jogar tudo em cima dos teus ombros e te contar que o amor não existe não. Fantasia inventada pra que a gente pudesse tentar encontrar alguém. Aquelas historinhas de contos de fadas, de metades de laranjas, de almas gêmeas perdidas por ai, isso é tudo confusão da mente. Mas chega mais perto Zé, deixa te contar uma coisa. Ninguém sabe Zé, mas tenho sorrido mais ultimamente, conheci um desses carinhas legais que a gente vê tanto em filme e ele vem deixado meu riso mais frouxo como... não sei, mas deixa Zé. Ta virando um problema, tudo que envolve ele é problema, ele próprio é problema Zé, mas to querendo resolver. Será que cai no feitiço? Será que o moleque que compartilha bobagens comigo e me faz rir sozinha ta me fazendo cair nas graças do amor? Ah Zé, to dominada por esse cara. To querendo que ele saiba que pra mim ele é riso, e querendo que ele entenda que passei a ser idiota depois que o conheci, e que quero despejar o meu drama em cima dele esperando que ele abra os braços e acolha tudo. E mesmo que ele diga que eu sou uma maníaca controladora possessiva e completamente ciumenta, eu ainda vou olhar e sorrir o sorriso mais lindo que puder, porque esse cara merece Zé. To perdida,acho que estraguei tudo quando resolvi desconfiar do amor, agora ele veio e me pregou uma peça. Ah Zé, se tu soubesse o quanto me derreto quando ele me abraça.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

as tardes de domingo, o dia me sorrindo

E já falei que ficar te olhando sorrir é como ouvir a música mais legal do mundo duzentas mil vezes e não conseguir parar? Só querer escutar mais e mais e mais até o resto dos dias? É como dançar o ritmo mais legal do mundo. Então sorria sempre, que eu quero continuar dançando.