terça-feira, 7 de janeiro de 2014

infinitos porquês

É difícil colocar num papel o quanto eu amo você, talvez eu ame porque você é controlador demais e domina meu corpo como uma marionete; e porque você consegue incendiar o sofazinho da minha casa mesmo que fique lá só por um segundo; e porque tu doa todos os chocolates pra mim; e porque tu comenta os livros e filmes e seriados comigo; e porque tu olha e sorri que nem criancinha com vergonha; e porque tu se lambuza com sorvete e deixa cair o copo de refrigerante na própria roupa; e porque tu se desconcentra fácil demais; e porque você odeia caminhar mas me faz andar km só pra ver um livro; e porque tu vai me deixar ganhar no vídeo game; e porque tu gosta de passar o domingo na cama; e porque tu me acha linda ate de pijama e descabelada; e porque a tua mão é boa pra me puxar pra perto; e porque tu é desengonçado mas anda como se fosse um rei; e porque você aceita todas as idéias escrotas que eu tenho pra vida; e porque quando tu fica brabo tu ainda consegue ser lindo mesmo disfarçando o riso; e tem aquela coleção de livros que você ama mas nunca termina de ler; e porque você canta e dança umas coreografia sem noção sozinho fingindo que teu teclado é uma bateria imaginaria; e porque tu prefere se encher de casacos do que andar de bermuda; e porque você se arrepia todo com unhas no seu braço, pescoço, barriga; e porque tu reclama de calor a cada 10 segundos mas não abre a janela do quarto; e porque tu vai me deixar forrar a casa com placas de aviso; e porque tu pode ter todos os defeitos do mundo mas ainda vai ser melhor que qualquer pessoa; e porque a ideia de tomar banho de chuva te deixa constrangido; e porque você acha bizarro os filminhos de romance; e porque tu tem essa mente cheia de bobagens que numa hora sintetiza sacanagens e na outra é tomada por um medo de ficar sem; e porque você se faz de forte mas se desestrutura com uma aranha ou qualquer inseto; e porque tu me interrompe enquanto eu falo; e porque você tem aquela voz que ecoa na mente a cada palavra escrita, mesmo longe; e porque você ama Avenged Sevenfold mas tua camiseta preferida é do Asking Alexandria; e porque tua cor preferida é azul mas tu fica lindo de vermelho; e porque tu faz os rabiscos, digo letras, mais bonitos que já vi; e porque você não entende quando eu falo “para” e acaba arrancando um pedaço do corpo que fica doendo por dias; e porque tu tem um cheiro que se instala pelo quarto, pela casa, pelo corpo, pela vida como se nunca tivesse saído dali, e porque sim. E o seguinte é assim, é que tu tem aquele ar de mistério de quem quer que alguém descubra tudo que há por trás dessa mente barulhenta e que pensa demais, e aí eu topei e to aqui tentando decifrar até o fato de tu querer trocar de roupa pra sair mesmo que esteja tudo em ordem, tu tem essa mania de esconder o jogo achando que eu vou desistir de te entender e mal sabe que o que eu quero é só poder olhar o universo em torno de você. A tua confusão já tomou conta de mim, você não sabe, mas ate o colorido dos seus olhos verde azulados ou azul esverdeados me confundem, mas me perco dentro deles e pretendo ficar lá, pra todo o sempre, enquanto durar, porque amor, não há nada mais bonito que te olhar, não há nada mais bonito que te amar. 

2 comentários: